COMPARAÇÃO ENTRE TRÊS MÉTODOS DE COLETA DE INSETOS NO CERRADO DA TRILHA DO SOL EM CAPITÓLIO, MG

Felipe Naves Pereira da Silva, Domício Pereira da Costa Junior, Juliano Fiorelini Nunes

Resumo


No bioma Cerrado, estima-se que exista cerca 30% da biodiversidade brasileira, o qual está entre os 25 biomas considerados hotspots no mundo. Na área de Cerrado da Trilha do Sol, Capitólio, MG, onde este trabalho foi desenvolvido, nada se conhece a respeito da fauna de insetos. O presente estudo propõe uma comparação entre três técnicas de coleta, tradicionalmente usadas para insetos (armadilha Malaise, rede de varredura, e armadilha de Möericke) com objetivo de avaliar sua eficiência e seletividade quanto às Ordens de insetos amostradas. Três pontos distintos foram amostrados: uma área com Cerrado strictu sensu; uma área de Cerrado campestre e uma área de mata ciliar. Foram realizadas 4 visitas a campo entre os meses de maio e agosto de 2012. Foram coletados e identificados 5377 insetos neste estudo, pertencentes a 11 ordens, sendo 3817 coletados por Malaise, 1079 por varredura e 481 por Möericke. A técnica mais eficiente foi a de varredura com 719,33 insetos por hora, seguida por Möericke 17,81 e Malaise, 1,54. As ordens Blattodea, Mantodea, Plecoptera e Embioptera foram coletadas apenas com armadilha Malaise. De acordo com os resultados, recomenda-se o uso de diversas técnicas de coleta para uma amostragem mais abrangente de insetos, já que as técnicas apresentam seletividade para alguns grupos.


Palavras-chave


Biodiversidade; Insetos; Métodos de coleta

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .