O IMPACTO DO USO DE RADIOFÁRMACOS NA SOCIEDADE

Cássia Celeste Sousa Vicentini Nascimento, Wangner Barbosa da Costa

Resumo


A medicina nuclear é uma especialidade que se destaca por trabalhar com processos diagnósticos e terapêuticos nos quais são utilizadas fontes de radiação abertas de forma segura, provenientes de radiofármacos, preparações farmacêuticas sem ação farmacológica com específicos radioisótopos. Existem três aparelhos utilizados para geração de imagens diagnósticas: as câmaras planares, os Positron Emission Tomography(PET) e os Single Photon Emission Computed Tomography (SPECT). Este[1]trabalho descritivo e bibliográfico, e tem como objetivo compreender o uso de radiofármacos, bem como sua produção, impacto, tecnologia envolvida, normas e legislação. Conclui-se que o uso dos radiofármacos em Medicina Nuclear, não causa reação adversa. O custo ainda é elevado. Permite observação de processos fisiológicos e anatômicos de forma não invasiva. A radiação recebida é inferior às outras técnicas.


Palavras-chave


Medicina nuclear. Radiofármacos.Radioisótopos. Tecnologia

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .