O VERMELHO E O NEGRO: PROJETO E CAMPO DE POSSIBILIDADES EM STENDHAL

André da Costa Nogueira

Resumo


A instauração do Realismo nas letras francesas, através das obras de Stendhal e Balzac, levou os escritores a se preocuparem com a abordagem de aspectos políticos, econômicos e sociais para melhor representarem sua época. Nesse sentido o romance O vermelho e o negro, de Stendhal, constitui-se numa das pedras angulares do Realismo na medida em que narra, com singular perspicácia, como a conjuntura sócio-histórica, as relações sociais e as ações dos indivíduos encontram-se intimamente imbricadas. A carreira meteórica de Napoleão Bonaparte, que de obscuro soldado chega a ser imperador da França, integra-se ao imaginário popular embalando os sonhos de riqueza e sucesso de várias gerações de jovens franceses como Julien Sorel, o protagonista de O vermelho e o negro. O presente trabalho aborda, à luz dos conceitos de projeto e campo de possibilidades desenvolvidos por Gilberto Velho e tendo como corpus investigativo o romance O vermelho e o negro, como Stendhal representa a mobilidade e as possibilidades de ascensão social em sua época.


Palavras-chave


Realismo; O vermelho e o negro; Projeto e campo de possibilidades.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN 2238-3948

Faculdade de Tecnologia de Bauru