BOMBRIL E O CONSUMIDOR, UM CONTRATO FIDUCIÁRIO

Ricardo Aparecido da Paixão, Anailton de Souza Gama, Eber Willinghton de Paula dos Santos

Resumo


RESUMO: As reflexões teóricas discutidas neste artigo se inserem na teoria Semiótica de origem francesa muito difundida no Brasil. O objetivo é analisar o percurso gerativo de sentido desenvolvido nas propagandas da Bombril e quais os efeitos causados no receptor/público/consumidores. Analisando os aspectos internos e externos do texto apresentamos um sucinto histórico do surgimento da marca Bombril no Brasil, o aparecimento do garoto propaganda (Carlos Moreno, o Garoto Bombril) e sua consolidação como referência ao produto. Além disso, analisamos como a marca e o produto (esponja/lã de aço) estão solidificadas no mercado como sinônimo de qualidade e como algumas propagandas veiculadas sobre o produto, seu percurso gerativo de sentido, expõe ao leitor os mecanismos ideológicos e estéticos de construção de linguagem da imprensa, a (provável) intenção do comunicador e o impacto sobre o receptor (público/consumidor).

Palavras-Chave: Percurso Gerativo de Sentido, Contrato Fiduciário, Bombril – Consumidor – Semiótica

 

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN 2238-3948

Faculdade de Tecnologia de Bauru